Menu

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Resenha - Quando o Vento Sumiu


" - Quando meu pai foi preso, descobri essa música numa entrevista antiga com o Bono. Ele falou que "Kite" era uma canção sobre se desapegar de alguém que não queremos deixar partir, se desapegar de qualquer tipo de relacionamento. Ele escreveu pensando na irmã, que não precisava mais dele, e, na época, seu pai estava morrendo de câncer, e Bono não conseguia aceitar que ele partiria em breve. Era do que eu precisava. Encontrei a letra na internet e percebi que se encaixava na minha vida. Quando escutei a música, senti que algo dentro de mim se acalmou, então meio que virou minha trilha sonora. Triste, né?"

5 meses atrás, fiz uma troca no Skoob e nunca imaginei que dela poderia vir tanta coisa boa. Primeiro que nunca imaginaria que ao mandar dois livros, receberia também dois livros de uma autora muito simpática e ainda AUTOGRAFADOS! Segundo, que além de conhecer uma nova autora, ainda fizemos um sorteio no blog e hoje estou trazendo já a segunda resenha dos livros dela. Estou falando da Graciela Mayrink com o seu livro "Quando o Vento Sumiu" (Ed. L&PM) -  o outro livro dela que recebemos, "A Namorada do Meu Amigo" já tem resenha no blog.
A história vai se passar em volta de três adolescentes (que são amigos desde a infância): Suzan, Mateus e Renato, que vivem no Rio de Janeiro. Os três estudam na mesma faculdade, ela Turismo e eles Engenharia Civil. Porém, todos tem seus problemas e são com eles que virão decisões que podem mudar todo o rumo da história.
Mateus vive só com a mãe desde que seu pai foi preso por dar um golpe. Renato é um garoto rico que não quer trabalhar na construtora do pai, preferindo surfar no lugar, indo contra o que seu pai quer. Já Suzan é apaixonada por Renato, mas é vista somente como uma amiga e ainda tem que lidar com a mãe que insiste para que ela tente qualquer coisa para ficar com ele - somente por causa do dinheiro da família dele.
Ai que as decisões começam a aparecer: Suzan deve realmente se declarar para Renato ou deve ir para próxima? Mateus realmente é somente um amigo ou tem mais sentimento para ser oferecido? Renato deve se render às pressões do pai ou continuar com o que gosta?
Essas perguntas vão ser frequentemente feitas para os nossos protagonistas e eles vão ter que saber lidar com elas. É bem interessante ver o dia-a-dia deles e eles são pessoas normais, que nem a gente. Se passar no Brasil, apesar de ser no RJ e eu não conhecê-lo pessoalmente, deixa a história muito mais próxima da gente.
Os personagens são carismáticos, mas o que mais me "conquistou" foi o Mateus. O romance - ou não, porque a Suzan e o Renato não são um casal - não me interessou tanto. E a mãe dela é um horror - eita mulher chata! Já os problemas do Renato são bem comuns em vários jovens - seguir o que os pais querem ou fazer o que gosta? Mas, como eu disse, os problemas do Mateus foram o que realmente me atingiram! E a relação que ele tem com a música "Kite" do U2 é muito bem construída e faz total sentido. Adoro quando os autores colocam músicas no meio da história. <3
A escrita da Graciela é muito boa e a revisão da editora está perfeita. Não achei um erro. Além é claro da edição do livro - muito bem feita e está lindíssima! Estão de parabéns! E que final, minha gente! Triste, muito triste. Não esperava por algo assim e fui pega totalmente desprevenida.
E uma coisa que gostei demais no que a autora fez foi que, depois do final da história, ela nos dá um outro final - esse, em que uma decisão é mudada e o que mudaria no futuro. Genial!
Recomendo demais o livro. Tem um romance bem fofo, tem drama e tem alguns momentos bem engraçados. Quem quiser ler algo mais leve, esse é uma boa sugestão. E o melhor de tudo: é de autor nacional! Então o que estão esperando para ler?

Até a próxima e boa leitura!
Carol!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário